5 cães importantes da história

Existiram, ao longo dos séculos, milhares de cachorros importantes e influentes para a história. Hoje falaremos deles.

Desde o fim da Era do Gelo os cães acompanham a espécie humana. De lá para cá a cultura deu um salto gigante, e as mudanças na civilização cada vez se tornaram mais frequentes. 

Diante desse fenômeno, é normal que os cães, que tanto nos acompanham, tenham feito alguma coisa pela humanidade.


Conheça aqui a nossa lista de cães que mudaram a história da civilização, baseado no livro de Sam Stall. Os famosos cães aparecem desde a antiguidade, até o período moderno. O livro lista os 100 cães que marcaram a trajetória da humanidade. Conheça alguns que selecionamos aqui:

Péritas

Era o cão favorito de Alexandre, o Grande, que o acompanhava durante as explorações militares. Provavelmente o nome Péritas tenha se originado da palavra 'Janeiro' em Macedônio. 

Há indícios de que o cão possa ter pertencido aos molossos (avôs dos atuais mastifes). O imperador gostava tanto desse cão que deu seu o nome a uma cidade grega. 

O fato marcante na vida desse cão foi o fato dele ter salvo Alexandre de ter sido esmagado por um elefante. Isso aconteceu na batalha de Guagamela, quando Péritas mordeu o elefante a tempo de salvar seu dono. 

Se isso não tivesse acontecido, seu dono não teria tempo de ter entrado na história como Alexandre, o Grande.

Urian

Todos sabem da divisão da Igreja na Inglaterra. O rei Henrique VIII criou a Igreja Anglicana para poder se casar duas vezes. 

O que muitos não sabem é que tem um cãozinho envolvido na história. Trata-se de Urian, um cachorro que veio cometer um deslize, provocando a eterna separação da Igreja Católica com a Anglicana. 

Conta-se que o Cardeal Wolsey, que era emissário de Henrique VIII, foi a um encontro do Papa Clemente VII, acompanhado do cão. 

O Papa e o Cardeal estavam quase chegando a um acordo, quando o cão Urian mordeu a canela do Papa. O resultado disso foi um desacordo, que dura até hoje.

cão Urian

Cachorro marrom

Esse terrier ficou conhecido em 1903, quando foi vítima de uma vivissecção (pratica de dissecar um animal vivo), que aconteceu no Departamento de Fisiologia da Universidade de Londres, na Inglaterra. O procedimento era comum nas escolas de medicina da época. 

Duas estudantes suecas estavam presentes, e denunciaram o ato. A Sociedade anti-vivissecção processou o professor responsável, mas perdeu na justiça. 

Mesmo assim, o professor foi muito criticado, até que a prática foi abolida. 

brown dog affair

O cão ficou conhecido como Brown Dog Affair ("Cachorro marrom"), e é tido como um mártir do movimento de libertação animal, ganhando uma estátua em Battersea Park, em Londres, entre 1906 e 1910. 

A estátua foi retirada depois de conflitos entre estudantes que defendiam e criticavam a prática. Em 1985, uma nova estátua foi colocada em Londres.

Laika

A história de Laika é digna de uma epopeia: ela era uma vira-lata que vivia pelas ruas de Moscou dos anos 50, até que cientistas do governo soviético a recolheram e a treinaram para ser o primeiro cão-astronauta em voos espaciais experimentais. 

O plano, um tanto ambicioso, serviria para ser uma prova da potência da URSS no final de 40 anos, de regime comunista. 

cães que mudaram a história

Os cientistas sabiam que Laika correria perigo, a começar pela nave que a cadela iria viajar, a Sputnik II, construída às pressas. 

O final da história não foi feliz, e Laika morreu poucas horas depois do lançamento, provavelmente de frio. Como é comum em governos socialistas e comunistas, a história foi escondida durante décadas.

A versão contada dizia que a cachorra teria conseguido viajar durante algumas horas, porém em 2002 a história verdadeira foi descoberta.



Snuppy

O cão da raça Galgo afegão foi o primeiro cachorro clonado da história. A clonagem aconteceu em 2005, na Coréia do Sul. 

Na pesquisa foram utilizados 123 mães de aluguel. Através de uma célula da orelha de um galgo afegão, foram criados uma ninhada de 3 filhotes, na qual apenas Snuppy sobreviveu.

cachorros influentes

Ao todo, 45 cientistas participaram da clonagem, liderados pela biomédica Hwang Woo-Suk. 

Desde então, o cãozinho tem sido usado na primeira série de cruzamentos com cães clonados. Seu esperma foi utilizado em fêmeas clonadas, que deram a origem a 9 filhotes em 2008.

Leia também: